HollywoodCEO: Ayrton Senna.
Melhor Loja Física do Brasil.

O que fazer diante de uma proposta de fusão.

PERGUNTA: O que fazer diante de uma proposta de fusão financeiramente interessante mas que irá descaracterizar totalmente a identidade da sua empresa? Tenho receio (suposição) de que no futuro não dê certo e a marca seja diluída.

MINHA RESPOSTA: Historicamente falando na grande maioria das fusões e aquisições 1 + 1 = 1,5.

A Cisco acaba de descontinuar a FLIP, uma linha de produtos fantástica que eles compraram 2 anos atrás e que sozinha caminhava as mil maravilhas. Quando comprada pela Cisco, foi para o saco.

O fato é que a CULTURA de ambas as empresas tem que ser MUITO PARECIDAS para que a fusão seja bem sucedida.

A Amazon comprou recentemente a Woot e a Zappos, e aparentemente nada mudou nessas operações.

Do ponto de vista do consumidor, ele não tá nem ai para quem é dono do quê. O que interessa para o mercado é continuar a receber um serviço matador, um produto dúca, e bastante inovação e atenção.

Do ponto de vista de marketing, é muito difícil para qualquer empresa ser percebida como "faz-tudo" pelo consumidor.

Portanto, teoricamente é MUITO MAIS negócio em uma fusão, manter a marca das empresas funcionando, suas equipes etc.

AGORA, um dos propósitos da fusão é reduzir custos. Portanto, quando existe duplicidade de tarefas, um dos dois deve dançar.

Se a cultura de ambas as empresas forem as mesmas, teoricamente ambas tomarão a mesma decisão de cortes etc ferindo assim muito pouco os resultados e a cultura da empresa como um todo.

VAMOS QUE VAMOS!!!

ARREBENTA!!

 

Comments

Feed You can follow this conversation by subscribing to the comment feed for this post.

Uma não precisa diluir ou engolir a outra. A parceria pode ser feita para segurança financeira de ambas e as marcas continuam com seus públicos disitntos.

Convenhamos, sem competitividade não há vendas. Então seria a perfeita oportunidade para que ambas as empresas criem cenários de mercado, simulem alta competitividade, disputa acirrada e aumentem as vendas.

A Microsoft possui boa parte das ações da Apple. A Samsung produz grande parte dos componentes dos produtos da Apple.
A Motorola já foi fornecedora de processadores da Maçã.

Alguém aqui realmente ainda acredita que a competitividade entre as empresas é algo do acaso?

Eu acredito que é um cenário completamente manipulado para que o consumidor acredite que haja competitividade e escolha sua bandeira.

Engolir ou diluir uma marca que está bem é uma opção em uma fusão. Não uma regra.

The comments to this entry are closed.