Livros do Maister
Brasil em Pequim.

Entrevista com David Maister.

David_maister
É com um imenso tremendo incrível animalesco prazer que apresento a vocês a entrevista que fiz essa semana por e-mail com David Maister.

David who?

David Maister!!!! O mais genial pensador do mundo dos negócios quando o assunto são Empresas de Serviços Profissionais.

Infelizmente, Maister não tem nenhum livro publicado no Brasil, portanto pouco conhecido na terra brasilis. Uma verdadeira vergonha nacional, e prova da incompetência dos livreiros nacionais do mundo dos negócios em reconhecer talentos ou mesmo acompanhar o que rola lá fora.Maister é uma dessas coisas que se fosse conhecida no Brasil transformaria o país em um lugar melhor para se trabalhar.

David Maister é cultuado em todos os cantos do planeta, e consegue ser amado ao mesmo tempo por Tom Peters e Peter Drucker. Tom Peters, que nos últimos tempos tem falado bastante sobre Empresas de Serviços Profissionais, chupou todas as idéias que publicou no livro Reimagine do trabalho de Maister.

David Maister é o bicho, um cara super ultra inteligente que fala ao vivo de uma maneira tão direta e reta que espanta todos que o escutam.

Ele esteve recentemente no Brasil fazendo uma palestra para uma grande banca de advocacia de São Paulo de um amigo meu. O evento foi em Campos do Jordão, e deixou todos de boca aberta com o seu jeitão porrada de ser, "Se você não entender o que eu estou falando o problema é teu,  vou te ajudar se você quiser se ajudar".

Tudo a ver comigo. Muito mais do que qualquer outro guru que vou entrevistar por aqui, ele é provavelmente o maior influenciador do meu trabalho. Eu conheci David Maister em 1995.

Vocês poderão comprovar pela entrevista que muito do que ele fala eu falo por aqui.

Todos os livros de David Maister podem ser comprados na Livraria Cultura sob encomenda, ou na Amazon.com. Eu recomendo que você comece a ler Maister pelo livro True Professionalism, depois Practice what you preach!, depois Managing the Professional Service Firm, depois First Among Equals, Trusted Advisor, e o mais recente Strategy and the Fat Smoker. Sendo o Fat Smoker ele mesmo.

Se não quiser ler nada, leia os artigos que ele publica no web site dele, e ouça o seu podcasting. TUDO SHOW DE BOLA!

Entre outras coisas que vocês vão ler na entrevista, eu gostaria de destacar o posicionamento profissional de Maister com relação as suas palestras.

Maister simplesmente não faz palestras para qualquer um. Se ele perceber que o cliente não sabe o que quer, ele não vai. A palestra que eu comentei acima que aconteceu em São Paulo, quase não aconteceu. Ele não sentiu firmeza dos advogados e não queria vir nem por 80 mil reais. Ele não fala para boçais que procuram maneiras de se motivar, ele quer mudar as pessoas que querem mudar.

MAISTER É O CARA!

DETALHE: é a primeira entrevista de Maister para um brasileiro. Se eu não conseguisse entrevistar mais nenhum galã do primeiro mundo, eu me daria por satisfeito por ter conseguido falar com David Maister.

A entrevista é longa, mas please, leia. Outro detalhe: ele vai acompanhar os comentários que foram postados no blog, o que ele não conseguir entender, eu vou traduzir e enviar a ele.

Agora... Como eu consegui chamar a atenção de um cara admirado no mundo inteiro, que se recusa a fazer palestras por 100 mil reais? Como eu consegui fazê-lo  responder o meu questionário de 20 perguntas em 5 dias? O que será que ele viu em mim, heim???

Por que ele perdeu tempo comigo, um brasileiro do terceiro mundo, ao invés de ganhar dinheiro com palestras e consultoria????

Think! Think Different!

Vamos a entrevista...

1. Conte um pouco sobre você, quem é você, o que você faz, qual é a missão da sua vida?

Maister: Nos últimos 25 anos eu tenho trabalhado como um consultor solo, aconselhando empresas de serviços profissionais por todo o planeta. Antes de me tornar um consultor solo, eu fui professor da Harvard Business School. Desde o início, eu escrevo livros e artigos para contribuir com a sociedade e também (egoisticamente falando) para construir a minha reputação.

Eu não penso que eu tenho uma missão na minha vida. A cada estágio da minha caminhada, eu me pergunto, “O que eu quero fazer a seguir que irá me interessar, e onde eu acredito que eu posso dizer coisas que outros não estão dizendo.”

2. Eu fiquei sabendo que você faz palestras apenas para as pessoas que você realmente acredita que estão alinhadas com a sua maneira de pensar. Isso é verdade, você desistiu dos mortos vivos que se escondem dentro das empresas e fingem que querem aprender alguma coisa?

Maister: Eu não quero ganhar dinheiro de pessoas quando eu percebo que eu não tenho nenhuma chance de realmente merecer, ao ajudá-las a atingir as suas metas. Isso acontece quando é óbvio que essas pessoas não têm nenhum desejo de fazer as mudanças necessárias para atingir as suas metas. Eu acredito que isso é antiético. Então, eu tento evitar essas (freqüentes) situações onde pessoas querem apenas um palestrante motivacional ou um discurso inspirador durante uma reunião e depois querem voltar a fazer negócios como sempre fizeram.

3. O seu ultimo livro é chamado de "Strategy and the Fat Smoker", eu estou familiarizado com a transformação que você passou na sua vida pessoal nos últimos tempos. Você poderia nos contar qual é a história por trás do nome do livro? Por que você misturou vida pessoa com vida profissional?

Maister: Em muitos dos meus escritos, eu gosto de usar o que nós conhecemos sobre as nossas vidas como indivíduos, e aplicar essas lições em um contexto de negócios. A minha preocupação é que em muitos casos, nós tentamos aplicar nos negócios algumas idéias que nunca funcionariam nas nossas vidas pessoais. Então porque aplicar tais idéias?

Então, o título do livro deriva da natureza do ser humano. Nós geralmente sabemos o que nós queremos atingir (exemplo, ter saúde), nós sabemos por que nós devemos atingir, e geralmente nós sabemos como fazer (exemplo, comer menos e fazer mais exercícios). Nada disso é garantia que alguém irá fazer alguma coisa. Então, estratégia e concorrência não são  sobre descobrir o que é bom para você. É sobre descobrir como ter a disciplina para fazer o que tem que ser feito, a despeito das tentações do curto prazo. E uma vez que os negócios vivem de pressões e tentações de curto prazo, viver a estratégia se torna difícil.

4. Os seus pensamentos sobre o mundo dos negócios se aplicam apenas as tradicionais empresas de serviços profissionais como escritórios de advocacia e consultores? Quais conceitos de negócios os donos de pequenas empresas poderiam pegar emprestado das suas idéias?

Maister: Eu tenho ouvido de muitas pessoas que as principais lições que eu tenho a ensinar são bastante úteis fora do setor de empresas de serviços profissionais, ainda que eu não tenha investido meu tempo em estudar outros negócios. Entretanto, isso não me surpreende, uma vez que as minhas lições sobre temas como o gerente efetivo, como lidar com os clientes e como trabalhar em equipe são derivadas da tentativa de entender como o ser humano funciona. Ainda que cada indústria e profissão gostem de acreditar que os seus problemas são especiais, existe muito mais em comum entre nós do que as pessoas possam imaginar.

5. Você fala sobre empresas de serviços profissionais desde 1982, certo? O que mudou nessa indústria desde então?

Maister: Os clientes se tornaram compradores mais sofisticados, e esse tipo de comportamento colocou uma pressão imensa sobre as costas das empresas medianas. Empresas e pessoas excepcionais estão se saindo melhores do que nunca. Existe menos espaço para aqueles que fazem trabalhos “aceitáveis” ou “suficientemente bons”. Isso significa que, dentro das empresas de serviços profissionais, elas se tornaram muito mais seletivas com relação aos profissionais que devem ficar. Essas empresas são menos “familiares” do que no início dos anos 80.

A outra grande mudança é a retenção de jovens talentosos (a famosa guerra pelo talento). Nos velhos tempos, as empresas acreditavam que sempre existiria talento de sobra, pessoas dispostas a trabalhar a qualquer hora, começar em qualquer posição - como aprendizes por exemplo - , trabalhar duro até alcançar o topo da pirâmide alguns anos depois. Isso não é mais verdade, uma vez que os jovens têm mais oportunidades e diferentes atitudes em relação a esperar pela recompensa. Enfim, as empresas estão tentando (com relativo sucesso) desenvolver novas maneiras de atrair, motivar e reter os novos talentos. Poucas estão sendo bem sucedidas.

6. Qual idéia que você cunhou no passado se provou obsoleta para o século 21?

Maister: Eu costumava acreditar que as pessoas queriam ser bem sucedidas e estariam dispostas a fazer tudo que é necessário para atingir esse objetivo. Eu acreditava que um impecável atendimento ao cliente, o trabalho em equipe, o treinamento e investimentos no futuro iriam garantir os resultados esperados. Entretanto, o que está obsoleto é a idéia de acreditar que todas as pessoas irão colocar energia para atingir essas coisas. Eu agora acredito que a chave para o sucesso – energia, direção, paixão, determinação, disciplina – é uma matéria muita escassa.

7. Você sempre disse que o desenvolvimento dos negócios não é sobre vendas, o desenvolvimento dos negócios é sobre ajudar as pessoas a crescer e prosperar. Como empresas de serviços profissionais podem fazer isso no mundo de hoje em que vivemos cercados por cínicos?

Maister: Esse é um ponto prático, não moral. Mais uma vez, vamos chamar a nossa experiência pessoal para suportar essa idéia. Quando nós compramos serviços profissionais, como nós respondemos as pessoas que falam de si mesmas e das suas empresas o tempo todo? Quando você é o comprador, qual é a sua resposta se o vendedor nunca tenta te vender nada, mas gasta todo o seu tempo dando a você idéias e sendo prestativo? Um simples fato sobre a humanidade é que você e eu damos o nosso dinheiro para aqueles que conquistam a nossa confiança ao se importar e tentar nos ajudar. Aqueles que nos perseguem com técnicas de vendas nós desrespeitam e nós passamos a fazer menos negócios com eles. Se nós somos assim, porque os nossos clientes seriam diferentes?

8. Eu conheço dezenas de pequenos empresários que investiram rios de dinheiro, tempo e energia para desenvolver os seus funcionários principais e então vê esses funcionários deixarem a empresa. Qual conselho você daria para essas pessoas?

Maister: Simplificando ao máximo, você pode dizer que a maioria das pessoas gosta de desafios, significados e dinheiro. Para me motivar, você precisa me pagar bem – esse é o ponto de partida. Depois, eu quero sentir que eu trabalho com líderes e colegas para atingir algo que eu possa acreditar. Trabalhar apenas por dinheiro torna as pessoas depressivas depois de certo tempo. Então, eu pergunto, “Qual é o propósito dessa empresa?”. Finalmente, eu quero receber novas tarefas para continuar a desenvolver as minhas habilidades e permanecer interessado.

É isso que eu gostaria de ter. E você?

9. Qual é o segredo para transformar pessoas medíocres em verdadeiros profissionais?

Maister: Eu acredito que foi Dale Carnegie quem disse “A única maneira de mudar uma pessoas é descobrir o que ela quer, e mostrar a ela como conseguir“. Essa máxima ainda é verdade hoje, em todo o mundo. As pessoas não vão correr atrás das suas metas – elas vão correr atrás das próprias metas.

As pessoas que estão desmotivadas atingem esse estado de espírito porque geralmente elas não sabem o que querem fazer a seguir. Um coaching habilidoso pode ajudar essas pessoas a escolher uma profissão que elas se sintam interessadas, definir pequenas metas de melhoria para criar um momento de orgulho, e agir como chefe profissional de torcida dessa pessoa e crítico mais ferenho: “Vamos, você consegue fazer, eu vou ajudar você.”

David 10. Como gerenciar uma empresa de serviços profissionais em tempos de crise?

Maister: Não entre em pânico! Todos irão olhar para o líder para ver se ela ou ele estão lidando com a crise sob a perspectiva de longo prazo ou curto prazo. Se os líderes da empresa começarem a proteger os seus próprios interesses de curto prazo, então todos entenderão que podem fazer o mesmo. Você não pode reclamar da falta de lealdade dos funcionários, se você os demite ao primeiro sinal de fumaça só para manter os custos sob controle. Você precisa olhar para a figura como um todo. Eu estaria disposto a trocar a fidelidade futura dos meus funcionários por um melhor controle de custos hoje? Ou, eu estou disposto a fazer sacrifícios pessoais para motivar as pessoas quando (se) nós sobrevivemos? Uma escolha precisa ser feita. Você não pode esperar que receba se nunca deu.

11. Qual é a próxima grande coisa para as empresas de serviços profissionais? Quais são as três maiores tendências para os próximos anos?

Maister: Novas tendências são geralmente irrelevantes. Pense sobre a analogia que eu fiz com o “fumante gordo”. Se você for um fumante gordo, é muito tentador perguntar sobre quais são as novas teorias sobre dietas e programas de exercícios. A verdade, entretanto, é que tais discussões são táticas para fugir do problema. O negócio é começar a trabalhar as áreas para atingir as melhorias que nós sabemos que temos que trabalhar.

12. Hoje, o mundo dos negócios é mais competitivo do que nunca, transformando a perda de um simples cliente em um verdadeiro crime. Sabendo que manter clientes, construir relacionamentos e continuar a nutri-los é uma arte. Quais são os princípios para construir relacionamentos fortes com os clientes?

Maister: Pense sobre relacionamento no seu mundo pessoal. Quais são as “regras do romance”? O que você poderia fazer que vá inspirar outras pessoas a quererem entrar em um relacionamento de benefício mútuo com você? As pessoas esperam: um alto nível de integridade; um interesse sincero em conhecer a outra pessoa; preocupação em entender o que passa pela cabeça da outra pessoa ao invés de tentar fazê-la entender o que passa na sua cabeça; boa vontade para investir no relacionamento e ser paciente para esperar os benefícios futuros. Isso pode soar como princípios morais e não relacionados a negócios, mas não são. Eles fazem parte do comportamento e atitudes básicas que fazem outras pessoas quererem ficar com você no longo prazo.

13. O que é confiança do cliente e como uma empresa de serviços profissionais pode conquistá-la?

Maister: Confiança é feita de muitas coisas, mas quatro perguntas são chaves (conforme descritas no livro TRUSTED ADVISOR). Eu acredito que você seja competente (ações)? Eu posso depender de você para fazer o que você prometeu fazer (palavras)? Eu estou confortável para lidar com você como pessoa, e você me faz sentir a vontade (intimidade)? E finalmente, eu acredito que você irá colocar os meus interesses em primeiro lugar, ou você está falando comigo apenas para conseguir o que você quer (interesse)?

14. Como se tornar um conselheiro que o cliente pode confiar?

Maister: Aqui vai uma dica simples sobre como descobrir. Pense sobre todos os momentos que você tem sido o comprador de serviços profissionais. Talvez você tenha usado um médico, um contador, um mecânico para o seu carro, um decorador para a sua casa. Faça duas listas. Na primeira coluna coloque todas as coisas que te deixaram decepcionado, magoado ou chateado – falhar em tratá-lo como você gostaria de ter sido tratado. Então faça (provavelmente uma lista curta) das coisas que os melhores fizeram para conquistar a sua lealdade. Você terá então uma receita perfeita para ser usada como conselheiro que o cliente pode confiar. Trate os outros como você gostaria de ser tratado.

15. Você realmente tem que se importar com as pessoas que serão seus clientes?

Maister: Essa questão é importante para você quando você é o comprador? Você consegue dizer que o médico que o atendeu se importa com você? O consultor? Se você conseguir dizer, que afeta (a), a sua probabilidade (b) de retornar? Ou contar sobre o serviço para outras pessoas (c)? Eu pessoalmente diria que sim, você realmente tem que se importar com as pessoas que serão o seus clientes, e não apenas com o lado profissional delas.

16. Empresas de serviços profissionais rimam com inovação? Como ser inovador quando você tem que ter todos os tipos de métricas de performance, controle de qualidade etc?

Maister: Sempre existirá conflito na sua cabeça se você escolher um horizonte de curto prazo para tomar decisões. Pense sobre a abordagem da Toyota em fabricar carros: até o mais novato dos funcionários tem permissão para interromper a produção se ele ou ela encontrar uma falha. A Toyota é a maior e mais lucrativa empresa de carros do mundo. O mesmo é verdade em meu mundo solo de consultor profissional. Se eu não reservar um tempo para escrever, eu vou me tornar um “homem do ontem” e irei ganhar menos dinheiro, não mais. Muitas empresas como a General Motors estão cometendo o erro de pensar que se colocarem suas fábricas para funcionar na capacidade máxima todos os dias, elas terão mais lucros. Essa abordagem já foi provada que está errada. Qualidade precisa vir antes do volume.

17. Qual é a mais revolucionária empresa de serviços profissionais que você conhece, e o que a torna revolucionária?

Maister: Como eu descrevi no meu último livro, empresas que são revolucionárias não estão necessariamente fazendo as coisas mais inteligentes, elas estão apenas fazendo o que todo mundo fala que vai fazer mas não faz. Faz 22 anos que as empresas mais revolucionárias do mundo são as mesmas, Goldman Sachs, Accenture, McKinsey, Latham & Watkins. Elas conhecem sua filosofia de trabalho, e a vivem disciplinadamente. Essas empresas não está a venda, elas são revolucionárias!

18. Como você responde para as pessoas que dizem que você não escreve nada de novo ou revolucionário, apenas idéias que tem bom senso?

Maister: Eu apertaria a mão dessa pessoa e diria, “Agora, você entendeu a minha mensagem!”

19. Como você responderia à afirmativa: “As empresas de serviços profissionais se transformaram em um sistema de produção de clientes e cobrança. Elas perderam o toque humano dos velhos tempos. Elas se tornaram muito “profissionais”.”

Maister: Eu concordaria com a primeira parte. Muitas empresas profissionais colocaram o volume de negócios na frente dos seus valores e qualidade, e (como a General Motors) estão se machucando feio. Elas não se tornaram mais profissionais, elas se transformaram em mini corporações com mentalidade de curto prazo.

Eu não concordo com a segunda parte, que diz que nós perdemos o toque humano dos velhos tempos. Muitas empresas no passado se autodenominavam “humanas” porque elas eram muito tolerantes, ociosas, e quase não tinham qualquer tipo de controle de qualidade realmente utilizado.

Existe uma terceira onda que eu acredito. A onda que entende que é necessário fazer todos (do líder ao estagiário) se motivarem e se energizarem ao viver os padrões mais altos das empresas de serviços profissionais, vivendo de acordo com valores verdadeiros como “Nós sempre colocamos os interesses do cliente em primeiro lugar”, “Ninguém deve levar uma vida de cruzeiro, fazendo o que sabe fazer por muitos anos. O desenvolvimento pessoal é esperado de todos.”, “Se você não quiser ser um membro de uma equipe, por favor, vá embora da empresa e junte-se a outras pessoas como você”. Toda empresa realmente dirigida por valores reais e padrões profissionais será um excitante e lucrativo lugar para se trabalhar.

20. Quando os seus fãs brasileiros terão uma oportunidade de escutar você falar em terras brasileiras?

Maister: Eu não tenho nenhum plano nesse sentido. Mas nunca se sabe.

MUITO OBRIGADO DAVID MAISTER!
Davidmaister1

Comments

Feed You can follow this conversation by subscribing to the comment feed for this post.

Jordão, eu realmente não faço ideia de como você conseguiu essa entrevista, por isso, tiro meu chapeu e minha peruca para você!

Meus Muitos Parabens!

Ele é um cara referência e poucas pessoas no Brasil sabem as ideias que este gênio foi capaz de criar.

Seria muito interessante se houvesse alguma alma Brasileira que criasse uma adaptação dos livros dele para a pratica da pequena empresa.

O setor de serviços no Brasil é o que mais cresce se comparado com o Comércio e Industria, muitas pequenas empresas de advocacia, Home care, clinicas, etc. Deveriam ler o Managing Professional Services Firm.

But...

Cara acho que se você continuar assim chega nos 100%. :D
Finalmente algo desafiador.

Que venha mais!

Jordão,

Gostei. Gostei mesmo mas... cá com meus botões... Falconi, Ricardo Semler, Carlos Gosh dentre outros, não estão acima disto?

A pergunta e a respectiva resposta: "18. Como você responde para as pessoas que dizem que você não escreve nada de novo ou revolucionário, apenas idéias que tem bom senso?"

Vai ao encontro de tudo que tenho dito por aqui.

Forte abraço,

Gabriel Peixoto
Nossos japoneses são muito melhores que os japoneses dos outros.


Maister: Eu apertaria a mão dessa pessoa e diria, “Agora, você entendeu a minha mensagem!”

Muito show de bola essa entrevista mesmo, principalmente porque foca naquilo que eu venho falando sempre no meu blog, os talentos inatos que cada um trás.

Se quisermos ser bem sucedidos e prestar serviços profissionais, temos que ser apaixonadíssimos pela nosssa causa e realmente ajudar os outros a superar os seus problemas.

Excelente entrevista! Continue, estou adorando! :)

A melhor entrevista que li nos últimos tempos! É a linha de raciocínio que procuro mostrar a todos que conheço. Mas porque o óbvio geralmente não é óbvio? Porque todo mundo quer resultados mágicos, instantâneos, sem trabalho nenhum para construí-los. Desde o estudante que quer tirar "A" sem estudar até o executivo que quer ver seus gráficos apontarem para cima como se tivessem tomado um Viagra.

Jordão, meus parabéns pela determinação de conseguir entrevistas desse nível. Você é um exemplo de determinação e foco.

Tem um momento da entrevista que ele pede para você fazer uma relação do que seus fornecedores lhe desagradaram e em que eles te agradaram. Coisa mais simples que responde muita perguntas de como agradar seus clientes.

Um abraço

Mauro Castro
Analista de Sistema

Bah...

Quando comecei a ler o post, o que o Ricardo falou na apresentação, pensei que o cara fosse um "Neo-Nero" e que iria botar fogo no mundo.
Mas não...mais-do-mesmo.
Tô começando a achar que posso ganhar dinheiro com o pouco, ou melhor, o muito pouco que sei.

Antes das pedradas, uma observação: não li nenhum livro dele, apenas julguei a entrevista. Ponto. E claro que, no dia que conhecer a obra dele, eu posso mudar de idéia.

Grande abraço!

Porra Jurânio, caiu a ficha!

Porque não fazemos um blog revolucionário com o chão da fábrica???

Porque não um "WorkShock" Bizrevolution com Jurânios e Enricos como palestrantes??? Isto seria revolucionário: Davi's ensinando a Golias como a banda realmente toca.
Vocês tem dito coisas aqui que não encontrei em trocentos livros que já li mas ninguém valoriza porque vocês não tem pedigree.

Vem Um Jim Collins e diz: "Foco no cliente" e... pronto! Todo mundo se derrete...

Forte abraço,

Gabriel Peixoto
A gente não quer só comida a gente quer saída para qualquer parte.

Gabriel, sabe porque os caras são os tais e ganham dinheiro falando sempre o trivial e você não? Porque pro mercado, você é um bosta. Não é ninguém. Nunca fez nada que merecesse alguma visibilidade. Nem as "mesmices" que eles falam, você dá conta de fazer.

Sabe qual é a outra diferença fundamental entre você e eles? É que você passa a vida toda com ditados que ELES criaram, e não o contrário...

Pra quem acha que a maior realização dos últimos anos foi a de pedir demissão de um trabalho(?) nos Correios no meio do nada, fica fácil entender essa diferença.

Estou pronto pra ler um livro seu, uma realização consistente sua. Manda!!

Um dia seu estoque de pedras vai acabar, meu caro...

Abraço.

Ricardo, parabéns pela conquista, confesso que nunca havia ouvido falar no Maister, mas depois de ler esta entrevista fiquei maravilhado pela maneira dele tratar assuntos tão complexos de forma tão simples, ele é mais voltado para ação do que para blá,blá,blás... O que muitos querem hoje é inventar ao invés de inovar, e acabam criando chavões, processos, procedimentos,etc. Ação que é bom...nada.Se voltarmos nossos esforços para o "fazer" fica mais fácil de atingirmos nossos objetivos.

Ricardo Jordão.

Mais uma vez meus parabéns e meu muito obrigado ao Sr. David Maister.

Mais que motivador, essa entrevista mostra que precisamos dar mais valor a nos mesmo, que temos capacidade para superar as lutas do dia a dia. E que as pessoas em nossa volta são tão importantes como nós mesmo.
“A única maneira de mudar uma pessoas é descobrir o que ela quer, e mostrar a ela como conseguir".
Diferente das pessoas que tem muitas experiências e contribuem com criticas e sugestões, quero apenas agradecer.

Abraço a todos que participam desse blog, inclusive ao amigo Gabriel.

Gabriel,

Tem tanta gente boa para entrevistar..., eu vou atrás desses também.

ARREBENTA!

Ricardo

Ricardo, eu adoraria ver uma entrevista com o Ricardo Semler e gostaria até de sugerir umas perguntas, se possível. Ou senão ele mesmo poderia responder nos comentários.
Um abraço e parabéns

-

Pô, tem gente aqui que mereceria ser entrevistado. Aproveita Ricardo!

-

Humor Biz:

Adriano, que tal uma com todos os Biznautas?

Mateus, qual rama a de melhor qualidade?

PELEBROY, Andas tomando maracujina?

Godoy, se eu compro um quilo de carne, seu cozinho é meu?

Elen, ainda estais namorando?

Enrico, QUal o impacto da redução do spread bancário na balança comercial no curto prazo?

Jurânio, mesma pergunta do Enrico só acrescentando médio e longo prazos?

João Paulo, quem descobriu a América foi Cristovão Co... (alcatra, maminha, lombo ou picanha)?

Jordão, Do you An Inquiry into the Nature and Causes of the Wealth of Nations...

Susan, qual o nome dos três reis magos?

Viveiros, porque não uma pastelaria?

E, Bárbara, CADÊ O MEU POST???

Bom final de Semana e Forte abraço,

Gabriel Peixoto
Vamo simbora... pro bar... beber, cair, levantar...

Humor Biz:

Gabriel, você tem mais inveja do limão (que apesar de azedo, produz coisa boa) ou do câncer, que evolui?

JORDÃO ENTREVISTA EU!!!!

TO REINTEGRADO A SOCIEDADE!

MARACUJINA É O *&*&&%$#@!!!

Pelebroy,

Eu entrevisto você todos os dias, é para isso que serve a pergunta do dia.

ARREBENTA!

Ricardo

AH, ESSA VC SE SAIU MUITO BEM...

TO LOUCO P/ VER O CEO DO STARS!!!
DESSA VEZ PEGO O LIVRINHO DO CARALHO QUE VC JOGA P/ TORCIDA!

Nossa, escapei ileso pelas piadas do Gabriel. Isso é bom ou ruim?

Jordão, gostei da tua ideia de entrevistas e estou planejando implementar isso no meu negócio, poderia me dar algumas dicas de como consigo chegar nessas pessoas?

Humor!

Jordão tu entrevistou o professor do SOLETRANDO?

Sidney,

Desculpe-me, esqueci. Mas você fica entre Enrico e Jurânio.

Sid, esta é pra você:

Aquele cientista famoso estava a caminho de uma conferência quando o seu motorista comentou:
- Patrão, já ouvi tantas vezes o seu discurso que tenho certeza de que poderia fazê-lo no seu lugar, se o senhor ficasse doente.
- Isso é impossível!
- Quer apostar?!
E fizeram a aposta! Trocaram de roupa, e quando chegaram no local da conferência o motorista foi para a Tribuna enquanto o cientista instalou-se na última fila.
Depois da palestra, começou a sessão de perguntas, que ele respondeu com precisão. No entanto, em certo momento, levantou-se um sujeito que apresentou uma questão dificílima.
Longe de entrar em pânico, ele saiu-se com esta:
- Meu jovem, essa pergunta é tão fácil... mas, tão fácil... que vou pedir para o meu motorista responder!


Me diz uma coisa, tu achas mesmo que é o bam, bam, bam quem responde as bobagens do Jordão? Estes caras tem uma equipe de trocentos assessores para fazer isto e deixar os patetas do 3º mundo parece, como se diz por estas bandas, pinto na merda.

Vocês areditam em cada coisa. Fala sério meu.

Forte abraço,

Gabriel Peixoto
Pela estrada a fora eu vou tão sozinha...

Gabriel, pastelaria? hahahaha!

Foi realmente muito criativo. Mas tudo nesta vida é possível, quem sabe?

Abraços
Alexandre Viveiros

Primeiro:

Ricardo, viu, eu te admiro exatamente por esses gestos.
Você deste quando eu conheci nunca parou de arrumar cada treta para ocupar seu cerebro craniador. cara, tu ta sempre buscando novas respostas e atividades com novas forças. Veja,Hoje vc já esta tarado por entrevistar os maiores cerebros de marketing que é justamente o seu maior foco.

Penso, o que estará pensando tu daki 5 anos????? curioso!

Ah ricardo, sério, só falta vc querer trocar as benditas entrevistas de e-mail por um clássico cofrebreak francês segurando um bloco de notas.

Seja ô cara que arranca valores dos maiores cerebros do brasil com perguntas cavadoras e altamentes craniadoras!!!

Nao quebra tudo desta vez!!!!!
MINERE TUDO!!!!

Segundo:

Pelerbroxa,
Lapida tuas palavras nas perguntas que ele fizer em cada post, algumas são idiotas, mas e divertido responder perguntas idiotas com afico. Veja,é lá que vemos a cor de cada um.

Terceiro:

Gabriel,
"Vocês areditam em cada coisa. Fala sério meu."

A partir do momento que eu passei a acreditar praticamente no tudo( diga-se: TUDOLOGIA) a minha vida tornou-se plena.

O impossivel só nasce a partir do momento que tu passar a acreditar.

MuAHZ!!!

MR.

Eu nunca tinha lido nada a respeito de David e Seth. Em minha opinao David mostrou muito mais conteúdo em suas respostas, enquanto Seth limitou-se a uma teoria superficial.

abs,
Bruno Antunes

Adorei a parte em que o David cita: "Pense sobre relacionamento no seu mundo pessoal. Quais são as “regras do romance”? O que você poderia fazer que vá inspirar outras pessoas a quererem entrar em um relacionamento de benefício mútuo com você?" É bem por aí mesmo, meus caros. Não há mais separação entre o cara que sai com a família de bermudão no final de semana e o engravatado na segunda-feira. São uma pessoa só. Mais do que nunca precisamos nos doar para as pessoas, nos apaixonar por nossos clientes ao ponto de fazer tudo por eles... E como num bom romance, saber manter a chama acesa é que é a grande sacada! Trate bem da sua mulher que ela falará bem de você para todas as amigas, mulher adooooooooooora falar que seu marido é o melhor, quando ele merece. E até quando não merece tanto, pelo menos para causar inveja...rs Tratem bem dos clientes que vocês já possuem e eles serão seus melhores vendedores. Isso é básico. Nesta lista quem não entendeu o que o mestre disse não deve entender de clientes, tão pouco de mulheres. uma pena...tsitsitsi

Parabéns pela entrevista...

Legal as perguntas com belas respostas.

Gostei mesmo foi da 17.

" 17. Qual é a mais revolucionária empresa de serviços profissionais que você conhece, e o que a torna revolucionária?

Maister: Como eu descrevi no meu último livro, empresas que são revolucionárias não estão necessariamente fazendo as coisas mais inteligentes, elas estão apenas fazendo o que todo mundo fala que vai fazer mas não faz. "

Essa parte é muito boa...

Isto abre os olhos, FAZER o obvio e que trará muito resultado, desde que feito com empenho para acontecer MESMO, e seguirmos para o PROXIMO.

Grande abraço,

Robson Louzada da Silva

Ricardo,

Parabéns pela excelente entrevista. Fico feliz em saber que mais pessoas (e escritórios) conhecem o David Maister aqui no Brasil e também reclamam do absurdo que é ele não ter um único livro editado em português.

Sucesso!

Dear Ricardo, thank you so much for to share this interview. I follow Maister's ideas from 2004. If It´s a really delicious to read him, what would be to hear in live!!!.
All the very best Ricardo, and again thanks to share with us this excellente work

Ivan Cavero
Lima-Perú

The comments to this entry are closed.